HISTORINHA DO LOBO

julho 30, 2017 por Lobo de Ceroulas - Nenhum comentário

O BALÃO E O SONHO

Sonho era um gatinho pequeno, redondo, como uma listra amarela bem no meio do
corpinho gorducho. Parecia mesmo um sonho de padaria, com recheio de baunilha que escorre
na primeira mordida.
Sonho foi morar no edifício mais alto da maior cidade que seus donos puderam
encontrar. Os donos de Sonho eram muito alegres, festeiros, amavam o gatinho do tanto que
seus braços puderam se afastar e davam tanto carinho e tanto abraço gostoso que, às vezes,
Sonho se parecia mais com paçoca do que com um sonho de padaria!
Desde a hora que acordava de manhã até a hora que seus olhinhos não aguentavam mais
de tanto sono, Sonho subia no encosto da poltrona vermelha e fofa que ficava na sala, pertinho
da janela, e se colocava a observar a vida que fervilhava na cidade! Lá de cima, bem do alto,
Sonho via aviões, carros, motos, bicicletas, pessoas, cães, gatos, ouvia tantos ruídos diferentes,
observava a mudança das cores dos dias, das estações…
Sonho nunca saía do apartamento! As janelas estavam sempre fechadas! As portas
estavam sempre fechadas! Podia ser perigoso para aquele gatinho tão amado, tão cuidado, tão
feliz…
Sonho sonhava com a vida lá fora! Sonhava em sentir nos seus pelinhos aquele
movimento que ondulava os cabelos, que carregava os guarda-chuvas, a chuvinha gostosa que
fazia as pessoas correrem.
Numa tarde, enquanto tentava afugentar um mosquito que teimava em querer pousar no
seu bigode, Sonho percebeu algo diferente dançando através da janela. Era um balão colorido
com uma cestinha marrom que se balançava todo e espalhava alegria em matizes de lilás, azul,
rosa, laranja! Sonho prendeu a respiração de tanta surpresa e emoção! Nunca em sua vida vira
uma coisa tão linda! Ele pulou para pertinho do vidro da janela e colou sua carinha enquanto
tentava alcançar o balão batendo as patinhas no vidro!
O Balão foi se afastando, afastando…Sonho foi ficando murchinho, murchinho…
Sonho queria mais do que viver ali, cercado de mimos, carinho, leitinho… queria voar
dentro daquele balão, olhar o mundo e sentir…sentir…sentir…que palavra é esta que Sonho não
conseguia achar, mas que resumia todos os seus sentimentos? Sonho não sabia…ficou triste!
Não mais o deixava feliz os afagos dos seus donos. Não mais o deixava alegre e entusiasmado
um novo novelo de lã colorido…
Os donos perceberam que Sonho estava diferente! Mudaram a ração, compraram-lhe
novelos de lã de várias tonalidades, trocaram a caminha…nada! Deram ainda mais carinho, mais
cafuné…nada! O gatinho só colava o rostinho na janela de vidro esperando o balão voltar!

Um dia, em meio a uma ventania a janela de vidro não resistiu à força do vento e se
escancarou toda! Um enorme sopro invadiu o ambiente e o gatinho, arisco, chegou bem
pertinho! Cuidado gatinho! Pode ser perigoso!
Os donos chegaram na hora e seguraram com força seu gatinho tão amado! Neste
instante o balão veio se aproximando e Sonho, louco de felicidade rodopiava e se sacudia
inteiro! Os donos vendo a alegria do gatinho se entreolharam e perceberam, pela primeira vez, o
que fazia o gatinho feliz! O Balão veio se aproximando da janela, se aproximando, se
aproximando…o entusiasmo de Sonho aumentando, aumentando…o coração dos donos se
apertando, se apertando…
Seguraram o balão bem pertinho da janela e com muito carinho colocaram Sonho dentro
da cestinha! Mesmo o vento forte não foi capaz de carregar as duas lágrimas grossas que
dançavam nos olhos dos donos de Sonho! E soltaram o balão!
Sonho sentiu o vento, a chuva fininha, o calor do sol! Viu o dia se transformar em noite,
e a noite em sonhos! Sonho voou em seu balão por toda a cidade, e por outras cidades
também…conheceu os rios, o mar, florestas e desertos! Deve estar voando até hoje!
E se você olhar pela janela nos dias de vento forte, talvez verá um balão colorido, com
um gatinho lá dentro e uma fitinha azul dançando com o vento onde você poderá ler:
LIBERDADE!

 

OBS: A ilustração deste post é um papel de carta dos anos 80 que faz parte da minha coleção particular.